O que precisa a um clique

Koisas-di-Comprar

Olinda - PE - Brasil
@KComprar
facebook.com/koisasdicomprar
(81) 98446-3249
jacytan.melo@gmail.com
Tribulus Terrestres aumenta  a produção natural da testosterona.  Estimula o impulso sexual (em ambos os sexos).

SÓDIO E SAL: conheça suas diferenças e perigos para a saúde

26-09-2016 10:50

Imagem: Reprodução/Divulgação/mundoeducacao.bol.uol.com.br
 
Koisas-di-Comprar - Fundamental sabermos a diferença básica entre o sódio e o sal, fato que provoca dúvidas quando da aquisição dos produtos e leitura dos rótulos.
 
No item II sobre a composição do sal estaremos demonstrando com exemplo a diferença.
 
Atualmente temos uma vida agitada onde o tempo é precioso, em função disso as pessoas se utilizam de lanches rápidos e comidas semi prontas industrializadas.
 
Só que essa praticidade pode ter um custo alto para a saúde, porque a maioria desses produtos possui altos teores de sódio. Sem que as pessoas tenham a noção exata, dos riscos os quais estão expostas.
 
O sódio é essencial para a saúde dentro dos padrões recomendados no item III, mas quando o seu uso ultrapassa esses limites, passa a ser um vilão e responsável por inúmeras doenças.
 
II ) COMPOSIÇÃO DO SAL DE COZINHA E DIFERENÇA DO SÓDIO
 
A maioria da população desconhece a diferença entre o sódio e o sal, fato esse que gera dúvidas para se ler rótulos e entender o quanto de sal apresenta o produto.
 
O sal cujo nome científico é cloreto de sódio é formado por: átomos de cloreto e átomos de sódio, contendo: 39,34% de sódio e 60,66% de cloreto.
 
Para se obter o total de sal de um produto é necessário multiplicar a quantidade de sódio por 2,5. 
 
Observe no exemplo a seguir:
 
1 pacote de macarrão instantâneo possui: 1.760 mg de sódio.
Para sabermos o quanto representa em sal devemos fazer o seguinte calculo: 1760mg x 2,5 = 4400mg que divididos por 1000 equivale a 4,4 gramas de sal ou 1,76 gramas de sódio.
 
Quando confundimos o sódio com o sal, achamos que estamos consumindo 1,76 gramas quando na realidade é 4,4 gramas de sal bem diferente seu efeito quando se fala em níveis de consumo.
 
III ) NÍVEIS IDEAIS DE CONSUMO E PRÁTICAS USUAIS
 
Segundo especialistas da área médica, o nível diário máximo aceitável de sódio é de 2,4 gramas o que equivale a 6 gramas de sal ou uma colher rasa de chá.
 
No Brasil, segundo pesquisas médicas o consumo diário atinge a quantidade alarmante de 13 gramas, mais de duas vezes o consumo recomendado provocando graves consequências de saúde.
 
Pelo exemplo citado do macarrão instantâneo podemos constatar que apenas o consumo desse item sem considerarmos as outras refeições de um dia, já representa 73% da quota diária limite de consumo.
 
Daí a importância de se observar os rótulos dos produtos e selecionarmos para consumo, os de menor teor de sal. 
 
III ) BENEFÍCIOS DO SAL 
 
O sal é essencial para o equilíbrio do organismo humano regula as funções básicas e sua deficiência provoca fraqueza e pode levar até a convulsões.
 
É importante também, para o ritmo cardíaco, a pressão arterial, a absorção da glicose, para equilibrar o volume de sangue e promover a contração e relaxamento dos músculos.
 
Naturalmente se usado dentro dos níveis citados.
 
IV ) MALEFÍCIOS DO SAL 
 
Comentamos sobre os benefícios, mas convém ressaltar que a recíproca também é verdadeira.
 
Os excessos no consumo contribuem para o aumento dos riscos de: Hipertensão, derrame cerebral, cálculos renais, câncer de estômago, doenças cardiovasculares, diabetes e parada respiratória, inchaço entre outros.
 
IV ) OS GRANDES VILÕES
 
Vamos citar em seguida alguns dos produtos mais perigosos que contém os maiores índices de sódio:
 
Embutidos: Linguiça, salsicha, paio, presunto, mortadela, salame.
 
Enlatados ou em vidros: Atum, sardinha, azeitonas, palmito, mostarda, maionese, molho inglês, shoyu, catchup, milho verde, ervilha, molho de tomate.
 
Defumados ou em salga: Bacon, bacalhau, carne seca, charque, carne de sol.
 
Queijos amarelos: Mussarela, prato, provolone, parmesão.
 
Outros: Macarrão instantâneo, sopas instantâneas, caldos de carne, batata palha, pizza de microondas, refrigerantes light e diet, hambúrguer, quibe, coxinhas, pastéis, empadas e salgadinhos de pacote. 
 
VI ) DICAS DE USO
 
- Verifique sempre o rótulo dos alimentos antes de adquirir e sempre que possível substitua a marca ou o produto por um com menos sódio.
 
- Evite as comidas prontas e faça sua própria comida.
 
- Aposente o saleiro da mesa.
 
- Observe que muitas vezes, o mesmo produto com marca diferente apresenta quantidade de sódio maior ou menor.
 
- Reduza de forma gradual o sal substituindo por temperos alternativos naturais como: orégano, louro, alecrim, salsinha, cebolinha, limão, alho, cebola, azeite, limão, hortelã evite os temperos prontos.
 
- Não se esqueça que a hidratação é importante, tome pelo menos 2 litros de água por dia.
 
- Busque mudança de hábitos alimentares partindo mais para a alimentação natural dando ênfase para frutas, saladas e legumes.
 
Ao longo da matéria, constatamos que o sódio é um dos fatores que se consumido em excesso contribui, para o surgimento de diversas doenças graves, principalmente em função do uso dos alimentos industrializados.
 
Precisamos estar atentos aos rótulos e adotarmos critérios mais rígidos de alimentação, priorizando as preparações em casa e adotando novos hábitos alimentares, que dêem preferência a alimentação natural.
 
Fontes de consulta: Wikipédia, matérias Folha São Paulo, Estadão e consulta a sites da internet.